Geriatria. Nutrologia. Ortomolecular.

A relação entre a uva e a memória

Com o passar do tempo, guardar as lembranças pode ficar mais difícil. Mas pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos, descobriram que comer duas porções de uvas diariamente ajuda a diminuir a evolução dos lapsos de memória. Isso porque voluntários com declínio cognitivo leve que receberam a fruta apresentaram uma melhora em áreas do cérebro responsáveis pela memória. Além disso, as regiões normalmente acometidas no estágio inicial do Alzheimer se mantiveram estáveis. Já quem não recebeu os nutrientes da uva piorou nesse aspecto. O efeito provavelmente tem a ver com as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da fruta.

Sobre o Autor:

Yara Dantas

Deixar Um Comentário