Geriatria. Nutrologia. Ortomolecular.

Como evitar o vício em açúcar

Todo mundo já experimentou a sensação de necessidade de ingerir açúcar em algum momento da vida. Afinal, doces têm a capacidade de nos fazer mais felizes e estudos recentes provaram que os humanos são programados desde cedo a desejar o sabor doce. E, uma vez que o corpo experimenta a recompensa açucarada, não leva muito para se viciar.
A compulsão surge porque, após ingerir uma guloseima, por exemplo, o cérebro libera opióides – substâncias químicas naturais que dão sensação de imenso prazer. Ao reconhecer esta sensação boa, o cérebro começa a pedir mais e mais opióides e, consequentemente, açúcar. Os cientistas já até identificaram as áreas do cérebro que são ativadas pela compulsão açucarada e descobriram que são as mesmas áreas ativadas no vício em drogas, o que prova a real capacidade viciante do açúcar.
Além de cáries e obesidade, os doces também são ligados a outras doenças sérias, como depressão do sistema imunológico, diabetes e alterações de humor.

Dicas
– Evitar alimentos industrializados – em especial com farinha branca.
– Beber mais água, porque o cérebro confunde desidratação com fome.
– Ingerir mais proteínas, que garantem saciedade por mais tempo e ajudam a resistir à vontade de comer um docinho.
– Abra mão da sobremesa por três semanas para readaptar o paladar e diminuir a compulsão.
– Resista ao impulso de “beliscar”.

Sobre o Autor:

Yara Dantas

Deixar Um Comentário