Geriatria. Nutrologia. Ortomolecular.

Proteínas no ganho de massa muscular

O nutriente fundamental para aqueles que desejam ganhar massa muscular é a proteína. É ela a responsável pela formação das fibras musculares e também por repará-las depois que ocorrem as microlesões durante o treino de musculação. Porém, é preciso saber diferenciar as boas proteínas das ruins. As carnes mais gordas, por exemplo, são ricas em gordura saturada.

Por conta disso, muitas pessoas deixam de consumir carne vermelha, pois é a principal fonte desse tipo de gordura em animais. Porém, é preciso lembrar que elas também têm os seus benefícios e que fazem bem para a saúde. O que você precisa é saber escolher o corte correto da carne e diversificar o cardápio durante a semana com carnes brancas e outras proteínas de origem vegetal.

É muito importante fazermos boas escolhas na hora de ingerir a proteína. Existem alimentos riquíssimos desse nutriente como os ovos, famosos pela albumina, o leite e alguns legumes como as leguminosas: soja, feijão, grão-de-bico e outras.

Carnes vermelhas: Elas são fonte de diversos sais minerais (zinco, ferro e selênio) e de creatina – um composto nitrogenado que garante mais energia para o músculo -, melhorando o seu desempenho nos treinos.
• Consegue oferecer diversos aminoácidos que não podem ser encontrados em fontes de origem vegetal;
• É rica em mioglobulina, essa proteína é importante para realizar o transporte de oxigênio para as células que se localizam nos músculos.
• Também atua como antidepressivo por conter alta concentração de fenilalanina.
• A carne vermelha também ajuda a manter os níveis glicêmicos equilibrados e combate a resistência à insulina;
• Rica em vitaminas do complexo B, principalmente a B12 que melhora o funcionamento das células nervosas;

Frango: É um das carnes mais utilizadas por aqueles que visam o ganho de massa muscular. Além disso, ela é mais barata que a carne bovina, é mais simples de preparar e também consegue oferecer aminoácidos essenciais.
Vitamina B3: é essencial na prevenção do câncer e também de outras doenças crônico-degenerativas como o Mal de Parkinson e o Alzheimer.
Vitamina B6: auxilia a manter as funções normais do sistema cardiovascular.
Selênio: a falta de selênio pode causar problemas na tireóide por causar uma redução nas taxas das células T3 que ajudam a regular o funcionamento dessa glândula.
Aumenta a energia: as vitaminas B3 e B6 presentes no frango também aumentam os níveis de energia do nosso corpo.

Peixes: Os peixes têm sido bastante recomendados para o consumo em uma dieta saudável. Como eles são pobres em gorduras saturadas, que são ruins, e ricos nas poli-insaturadas como o ômega 3, os peixes passaram a ser a melhor opção para o consumo de proteína animal. O teor desse nutriente é menor se comparado ao frango e carnes vermelhas, mas consegue oferecer mais benefícios para a saúde.
Proteína de origem vegetal:
Soja: É rica em diversos nutrientes importantes, entre eles a isoflavona. Ela ajuda a diminuir os sintomas como sudorese excessiva, tem atividade antioxidante e anticancerígena (principalmente para o câncer de mama e o de próstata). Também tem vitamina E, um antioxidante que combate o envelhecimento celular.
Amêndoa: Uma oleaginosa muito conhecida por seus benefícios estéticos, principalmente entre as gestantes que usam o óleo de amêndoas para evitar estrias.
Grão de bico: Essa leguminosa, além de ter boas taxas de proteínas, também ajuda a melhorar o humor devido à presença de triptofano.
Lentilha: Além de ser rica em cálcio, ferro, fósforo e potássio, a lentilha é uma excelente fonte de vitaminas C e do complexo B.
Feijão: Além de ter proteínas também contém boas quantidades de fibras, especialmente o feijão branco. Essa leguminosa também é excelente para fazer saladas e sopas.

Sobre o Autor:

Yara Dantas

Deixar Um Comentário